terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Poesia: Viva menina



Viva, menina

E mesmo quando chorei
Tive que ser suficientemente forte
Para admitir que no entanto
Não era assim tão forte

Quando estive triste
Não me bastava tristeza
Mas diga, por que precisaria de motivos?
Ou por que olhos tristes?
Já que motivos, não haviam.

Procurei entender o que é viver
Me faltaram respostas
Mas afinal...
Tão nova em um mundo tão antigo
E relativamente tão pequena em um mundo tão grande
Quantas perguntas me caberiam as respostas?

Então viva, menina.
O coração que a noite machucaram, ainda sim acorda batendo
A memória que a muito abriga lembranças que a atormenta
Há de ser a mesma que abrigará bons momentos
Viva, e não se esqueça,
Seu caminho apenas inicia
Respostas chegarão, quando você finalmente estiver pronta para entende-las


                                   ( Texto por Victória Calderon - Interpretação por Pablo Teofilo )


2 comentários:

Carolina Rusth disse...

Tudo o que eu precisava ler! Muito obrigada.

Carolina Rusth disse...

Tudo o que eu precisava ler! Muito obrigada.